Religa-nos!

christ-our-pilotE ai Junior! Quanto tempo que não te escrevo que nem lembrava mais que o antigo nome desse site era “Cartas entre amigos”.  Rs

Andei pensando na vida religiosa contemporânea e analisando suas caracteristicas.

Percebo na minha vida, e as vezes na de meus irmãos de fé, um vazio espiritual recorrente.

Algo como: “Me sinto muito bem com Deus” e no momento seguinte: “Onde Ele está? Não o sinto mais”.

Parece um eterno ir e vir da presença daquEle que propagamos seguir.

Uma oscilação constante.

Nossa fé parece o gráfico da bolsa de valores.

Não me refiro a pecados que fazem nossa cotação da fé cair.

Não aqueles óbvios e aparentes.

Mas um vazio que toma conta de nós quando percebemos: “Jesus não está mais aqui! Pra onde Ele foi?”.

Isso me intriga, me irrita e me entristece.

Qual é a burrice que me acomete, de seja lá o que for na vida, que me faça soltar da mão do Mestre!?!

E sobre esse assunto Ellen White comenta ao se referir ao momento em que Maria perdeu Jesus de vista.

Ela levou 3 dias para reencontrá-lo.

Ellen White, usa essa história pra nos dizer que todas as vezes que soltamos a mão do Mestre e o perdemos de vista, é necessário um esforço para o reencontrar.

E nunca é imediatamente.

Um bom motivo porque isso ocorre descobri na semana passada.

Percebi que as “impurezas” nos fazem regredir espiritualmente quando encontrei o seguinte texto: “Todo pensamento impuro contamina a alma, enfraquece o senso moral, e tende a APAGAR as impressões do Espírito Santo”(DTN, 207).

Percebi na minha vida, que essas “impurezas” ai são coisas comuns do nosso dia-a-dia.

Coisas que até podemos fazer ao lado de Deus. Mas que acabamos por fazer sem Ele mesmo.

Lembrando que o que torna as coisas puras ou impuras, é a presença de Deus…

Até a leitura de um bom livro, pode ser uma leitura “impura” sem a presença de Cristo.

Outra coisa que me ajudou a perceber isso foi a nossa “igreja virtual”.

Tivemos uma maravilhosa e intima conversa com nossos irmãos na sexta passada.

E esse problema todo do vazio se demonstrou comum a todos nós.

Tem algo no nosso estilo de vida contemporâneo que tem nos afastado sistematicamente do nosso Salvador.

E podem ser tanto coisas aparentemente inofensivas, mas feitas na ausência de Deus, como “impurezas” profundas, no sentido pleno da palavra.

Foi só ai que eu me preparei para entender esse texto que li hoje.

Mateus 10:32 (Vai ler na sua Bíblia!)

É Claro!

Lógico!

O papel de Cristo no céu hoje é religar-nos ao Pai.

Mas se passamos nossa vida (“diante dos homens”) “sem o confessar”.

Se vivemos como quem tem outras prioridades diante dos homens.

Se nossa timeline do Facebook fala mais do que é da Terra do que é do Céu.

Se nossa vida é mais caracterizada pelo estudo ou trabalho do que pelo evangelho.

Se nossas palavras são mais amargas e azedas do que doces e graciosas (provenientes da graça).

Se somos mais acusadores do que redentores.

Se criticamos mais do que contribuimos.

Se ofendemos e atacamos mais do que defendemos a verdade em amor.

Entao a religação já não é mais possível. E Cristo está de mãos atadas.

Ele diz: Não posso te confessar diante do Pai. Porque tu não estás comigo nas coisas que faz!

Nós lemos esse texto sempre em relação a confessar a Cristo diante de um tribunal, na praça diante dos homens ou num momento de testemunho.  Porque esse é o contexto do verso.

Mas esquecemos que confessá-lo é natural quando Ele está ao nosso lado.

Não dá pra esconder quem está do seu lado.

A não ser que Ele, não esteja lá.

Eu posso confessá-lo quando acordo.

Posso confessá-lo quando entro na internet.

Posso confessá-lo ao me entreter.

Posso confessá-lo ao trabalhar.

Posso confessá-lo ao me relacionar.

Ou posso confessá-lo só quando vou a igreja.

Então a minha vida será um eterno subir e descer espiritual.

Marcada por picos de espiritualidade em eventos cada vez mais escassos.

E baixos constantes de uma vida diária que não O confessa.

A pergunta diária é: Onde está Jesus agora?

Salmos 27:7-9 “7 Ouve, SENHOR, a minha voz; eu clamo; compadece-te de mim e responde-me. 8 Ao meu coração me ocorre: Buscai a minha presença; buscarei, pois, SENHOR, a tua presença. 9 Não me escondas, SENHOR, a tua face, não rejeites com ira o teu servo; tu és o meu auxílio, não me recuses, nem me desampares, ó Deus da minha salvação”.