Quando Esquecemos o Tamanho do Problema


Quanto tempo que não tenho tempo pra mandar uma carta.

Meu caro Junior, estava lendo a revista Veja dessa semana e encontrei lá, no primeiro páragrafo.

Do artigo de Capa.

Uma menção ao hábito Bíblico do Antigo Testamento de matar aqueles que desonram seus pais ou quem não guarda um dia santo.

O autor trata o fato como sendo um absurdo, assim como a maioria das pessoas trataria o tema.

O que é uma clara demonstração de que as pessoas perderam a noção do quão grave é o pecado.

A punição natural para o pecado é a morte. Seja qual for o pecado.

Desde tirar uma fruta de uma árvore que não nos pertence (Eva), passando por uma mentira branca até o genocídio de homens e mulheres inocentes, pecado é pecado.

E só uma punição para o pecado.

Deus não enganou ninguém ao dizer o quanto Ele odiava o pecado e o quanto suas consequências são danosas:

“O dia em que dela comeres, certamente morrereis”( Gn 2:17).

Seja qual for o pecado, o resultado é a morte.

Mas por alguma razão nos achamos no direito de achar um absurdo a condenação a morte de alguém que “SÓ” desrespeitou seus pais!

Já parou pra pensar nas consequências a longo prazo disso? Sabe o que aconteceu 2600 anos depois que essa lei foi dada?

Vou te refrescar a memória. Num tempo em que os filhos que desrespeitavam os pais eram apedrejados,

não haviam filhos desobedientes como hoje.

Filhos que saem de casa e voltam quando querem,

Que transam com qualquer um.

Que usam a droga que decidirem usar, quando e o quanto desejarem.

Fazem escolhas importantes desrespeitando aqueles que, até então, lhe prouveram tudo.

São rudes, e ingratos com seus pais.

E isso é comum.

Ofendem e xingam seus progenitores.

Os abandonam cedo. Ou Quando velhos os maltratam.

São inclusive capazes de brigar ou matar seus pais.

E como seus pais são a representação do amor e cuidado divino, passam achar que podem todas estas coisas com o próprio Deus.

Não, Deus não quer que os pais sejam honrados em nome do medo de uma retribuição fatal.

Mas é preciso ficar claro o que acontece se o fizerem.

O reforço positivo de Deus vai dentro dos Mandamentos:

“Honra teu pai e tua mãe, para que se PROLONGUEM os teus dias na Terra que o Senhor teu Deus te dá” (Ex 20:12).

A oposição de Deus contra o pecado é clara, porque é Ele quem sabe o resultado final de nossas desobediências

Que podem até nascer com o aspecto de “inocencia, ingenuidade”,

mas foi o tocar em um fruto que fez as folhas cairem, os bichos morrerem, as pessoas sofrerem e Jesus ser crucificado.

O pecado é que é furioso. Sua fúria é destruidora.

Causa danos tão grandiosos que no mundo em que ele domina  a morte se tornou um descanso.

E desde que “combinado não sai caro”. Aquele que declarou que se pecassemos morreriamos

tem o direito

de retirar a vida que Ele concedeu, a qualquer um que tenha pecado.

Esse é o combinado.

Seja uma mentira branca ou jogar uma filha pela janela, ambos estão condenados a morrer!

Todos nós.

Deus é que na sua misericórdia que nos concede mais tempo, para podermos ser salvos.

Mas é um bonus, não um direito.

Deus nos deu a mão e já queremos o braço inteiro.

Agora nem aceitamos mais a morte.

Achamos ela injusta.

Injustos somos nós, que enebriados em nossos pecados nos esquecemos o quão grave ele é!