Confissão Pastoral #4: Como lançar ao mar?


Um dia desses estava eu conversando com um jovem que carregava um fardo imenso. Ele nasceu em berço Adventista, freqüentou a igreja por toda sua infância e adolescência, mas ao chegar à juventude ele começou a se encantar com as luzes coloridas do mundo.

Satanás aproveita dessa fase difícil para nós, onde não temos uma visão clara das conseqüências de nossos atos e tudo que é novo nos atrai. Satanás nos prepara armadilhas para nos enredar e teve sucesso na vida desse jovem. Ele abandonou a igreja e começou a desfrutar dos prazeres desse mundo.

Quando Satanás nos apresenta as tentações, ele nos mostra apenas o lado bom, mas esconde as conseqüências que são tremendamente ruins. Ao conversar com aquele jovem, ele foi relatando os passos dados em direção ao pecado, como ele foi se envolvendo cada vez mais e aquela alegria inicial aos poucos ia se tornando em uma profunda tristeza. Ele conhecia a Palavra de Deus, tinha consciência de que estava fazendo algo errado, então um conflito se instalou em sua vida.

Ele estava muito angustiado, queria voltar para Deus, retornar aos braços da igreja, mas não tinha forças. Não sei se você já se sentiu assim, quer fazer aquilo que é certo, mas só consegue errar, parece ser impossível retornar. Pensamentos invadiam sua mente tentando lhe convencer que para ele não tinha mais solução, afinal de contas ele conhecia a verdade e mesmo assim tinha escolhido o pecado. Ele não sabia mais o que fazer, o sentimento de culpa pesava em suas costas e ele não via saída para sua situação.

Como é triste ver o que Satanás faz com as pessoas. Promete uma vida feliz, mas essa vida nunca trás felicidade, pelo contrário, é a mais infeliz de todas. Aqui podemos entender melhor o que Salomão quis dizer em Provérbios 14:12 “Há caminho que ao homem parece direito, mas ao cabo dá em caminhos de morte”. Não encontramos felicidade no caminho que Satanás nos sugere, encontramos a morte!

Ao ouvir aquele desabafo eu tentava me colocar no lugar daquele jovem e imaginava como era grande o seu sofrimento. Quando ele acabou de falar, ele esperava que eu desse uma solução para seu problema. Nesse momento, eu como pastor, me senti impotente, afinal de contas sou apenas mais um ser humano, como posso ter todas as respostas e mostrar a saída para aquela alma aflita?

Graças a Deus que as respostas e saídas não vem de seres humanos, elas vem de Deus. Aquele sentimento de impotência desapareceu quando lembrei o que Jesus fez por nós. Tive a oportunidade de falar àquele jovem sobre a vontade de Deus em perdoar os seus pecados, que quando confessamos nossos pecados Deus nos perdoa de tal forma que não se lembra mais deles, lança nas profundezas do mar (Miquéias 7:19). Ele precisava do perdão de Deus e abandonar seus pecados. Mas infelizmente ele estava esperando algo extraordinário acontecer com seus desejos. Em outras palavras ele achava que uma hora Deus iria tirar dele a vontade de pecar, ele iria abandonar o pecado e tudo seria fácil, mas isso estava demorando acontecer. Falei que isso nunca iria acontecer. Temos que tomar a iniciativa e ir buscar o perdão divino.

Ao ouvir essas palavras, ele ficou preocupado, porque ele achava que não tinha força para abandonar o pecado. Isso é verdade, mas não somos nós que temos que ter força, nós temos é que buscar força de Deus. 1 Coríntios 10:13 diz que Deus não permite tentações superiores aquilo que podemos suportar, Deus é fiel e nos ajuda a suportar todas elas. E se pecarmos novamente, 1 João 2:1 reafirma que temos em Jesus nosso advogado a quem recorrer. Não precisamos temer, Deus é por nós.

Perguntei ao jovem se ele realmente acreditava que Deus perdoava seus pecados, se ele acreditava que essas palavras eram para ele. Ele disse que sim, então o desafiei e orar a Deus naquele momento, confessando seus pecados, reconhecendo sua fraqueza e expressar sua decisão de abandonar a vida mundana. Ele tentou orar mas não conseguiu. Satanás ainda lutava, tentava impedi-lo de orar, porque sabe que quando oramos a Deus, vamos ser vitoriosos em Cristo Jesus. Incentivei a orar novamente e o jovem conseguiu.

Depois daquela oração eu estava falando com outra pessoa. Ele estava feliz, dizendo que estava em paz, que tudo ia ser diferente a partir daquele momento. Como é maravilhoso presenciar a atuação do Espírito de Deus na vida de uma pessoa. Como é bom saber que Deus não desiste de nós e quer nos dar a paz.

Você está se sentindo cansado dessa vida? Você está sentindo o enorme peso da culpa? Você está vivendo angustiado? Jesus diz “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Mateus 11:28). Jesus quer aliviar nossas cargas, Jesus quer nos dar a paz que tanto precisamos. Não espere algo extraordinário acontecer em sua vida para buscar a Deus, faça isso agora e viva. Experimente o perdão divino e lance seus pecados nas profundezas do mar.

Pr. Jean Quenehen

Distrital de Curvelândia – MT

http://amtjean.blogspot.com/